Alia

Pedir orçamento

Como falar de Morte com Crianças: 7 Cuidados a Ter

Se, para os adultos, a Morte é um tema complexo, no caso das crianças, o assunto torna-se ainda mais delicado. Por este motivo, é fundamental conseguir ter uma conversa aberta para ajudar as crianças a lidar com a perda e o luto de forma saudável. Neste artigo, partilhamos 7 cuidados a ter quando for necessário falar sobre Morte com os mais pequenos.

mãe a consolar filho

Como falar de Morte com Crianças: 7 Cuidados a Ter

7 de junho de 2024

mãe a consolar filho

Se, para os adultos, a Morte é um tema complexo, no caso das crianças, o assunto torna-se ainda mais delicado. Por este motivo, é fundamental conseguir ter uma conversa aberta para ajudar as crianças a lidar com a perda e o luto de forma saudável. Neste artigo, partilhamos 7 cuidados a ter quando for necessário falar sobre Morte com os mais pequenos.

7 de junho de 2024

Cuidados a ter

Escolha o momento e o sítio certos

Encontre um momento calmo para falar com a criança e faça-o num espaço onde seja possível expressar as emoções à vontade. Só não deve iniciar a conversa em momentos de stress ou de tristeza extrema. Chorar é normal, mas, se perceber que poderá descontrolar-se, converse mais tarde.
 

Use uma linguagem clara e direta

Utilize uma linguagem simples, mas direta, quando abordar este tema. Deve explicar (sem assustar a criança) que a Morte é um acontecimento natural e que todos os seres vivos morrem nalgum momento da vida. O importante é não usar expressões como “partiu”, “foi dormir”, ou “está num lugar melhor”, por exemplo. Estes eufemismos podem confundir a criança e gerar outros medos (como o de ir dormir). Explique que, apesar da criança não poder estar novamente com quem faleceu, poderá falar dessa pessoa (ou animal) sempre que desejar.
 

Responda a todas perguntas com sinceridade

Deve preparar-se para responder, sempre de forma honesta, às perguntas da criança. Se não souber a resposta a alguma pergunta, diga que vai tentar descobrir. Caso a criança não coloque quaisquer questões, pode incentivá-la a fazê-lo.
 

Valide as emoções da criança

É normal que a criança sinta tristeza, raiva, medo ou confusão, por exemplo. O importante é deixá-la segura para expressar as emoções e oferecer o apoio necessário. Mantenha-se sempre disponível e não desvalorize os sentimentos da criança.
 

Utilize livros e outros recursos

Há diversos livros, filmes e outros recursos educativos que ajudam a entender o conceito de Morte. Pode partilhar estes materiais para ajudar a criança a lidar melhor com este processo.
 

Adapte a explicação à idade da criança

A forma como cada criança interpreta e encara a Morte altera-se de acordo com a idade e com a maturidade cognitiva. Por isso, o seu discurso deve ser adaptado. Há algumas noções a reter a este nível:
  • Até aos 3 anos, as crianças não têm capacidade cognitiva para entender a Morte e apenas percecionam uma ausência da pessoa ou do animal que faleceu;
  • Entre os 3 e os 6 anos, as crianças acreditam que a Morte é um fenómeno reversível;
  • Entre os 6 e os 9 anos, já entendem a Morte como algo que não pode ser revertido e podem reagir com mais angústia ao tema.
  • Entre os 9 e os 12 anos, já há uma perceção da Morte parecida com a dos adultos, mas pode existir medo associado ao tema.
 

Procure ajuda especializada

Se estiver a enfrentar dificuldades em falar sobre o assunto, ou se a criança estiver a revelar dificuldades em lidar com a perda, pondere recorrer a profissionais como psicólogos e psicoterapeutas. Cada criança lida com a morte de maneira diferente. Não existe uma fórmula para se explicar este fenómeno e falar sobre o assunto, mas há algo que importa sempre garantir: que mantém a honestidade, a paciência e que oferece apoio e amor nestes períodos difíceis. Contacte a ALIA para ter o apoio de que precisa nos momentos mais difíceis e receba uma proposta personalizada de serviços funerários.